Ricardo Jacinto

Nasceu em Lisboa, em 1975. Concluiu o curso de Escultura e o curso avançado de Artes Plásticas no Ar.Co e é licenciado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa. Foi estudante em intercâmbio na School of Visual Arts em Nova Iorque, com bolsa do Ar.Co. e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento. Foi artista residente na Cité International des Arts, em Paris. Estudou música no Bot Clube de Portugal e composição musical na Academia de Amadores de Música. Tem desenvolvido colaborações com outros artistas plásticos, arquitectos, músicos e performers. O seu trabalho tem sido mostrado em exposições, concertos e performances em Portugal e no estrangeiro, desde 1998, destacando-se as suas participações na MANIFESTA 7, em Trentino, Itália (2008); Lisboscópio (em co-autoria com o arquitecto Pancho Guedes), Representação Oficial Portuguesa na Bienal de Arquitectura de Veneza (2006); e a exposição individual EARWORM, na Culturgest (2008). Tem desenvolvido projectos de pendor colectivo como PARQUE (desde 2001); instalações sonoras como Solo (2003); The Great Gig in the Sky (2004) ou Les Voisins #2 (2008); e acções colaborativas como Eye Height (2009-201 I) ou In a Rear Room_ Um tributo (2010). Tem mostrado o seu trabalho no espaço Chiado 8, em Lisboa; na Culturgest, em Lisboa e no Porto; na Casa da Música, no Porto; no Centre Culturel Calouste Gulbenkian, em Paris; na Agência de Arte Vera Cortês, em Lisboa; no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, entre outras galerias e instituições. A sua obra está representada nas colecções Caixa Geral de Depósitos, Fundação PLMJ, entre outras.

Seis balões, mesa, televisor e vídeo, um projector de slides rotativo, 80 diapositivos e um pequeno dispositivo mecânico formado por três espelhos circulares,
Dimensões variáveis
Vista da instalação