João Tabarra

João Tabarra nasceu em Lisboa, em 1966.
João Tabarra vive e trabalha em Lisboa. Frequentou o curso de fotografia no Ar.Co (Centro de Arte & Comunicação Visual). A par do seu trabalho artístico, tem sido professor convidado em instituições nacionais e internacionais de renome, reunindo um já longo currículo de conferências, workshops e masterclasses. Actualmente, desenvolve o seu trabalho cinematográfico e colabora com textos da sua autoria em reconhecidas publicações de cinema. Integra o comité de Honra da prestigiada revista de cinema La Furia Umana.

Destacam-se, entre as mais recentes exposições e projectos, individuais e colectivos, em que participou, as exposições: Biotope (2015, Colégio das Artes, Coimbra), Discrépant (2014, Galeria Filomena Soares, Lisboa), Narrativa Interior (2014, CAM-Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa) I could live here, com Park Chan-Kyong (2011, JIFFtheque, Jeonju, Coreia do Sul), The age of micro voyages (2011, Korea NationalUniversity of Arts, Seoul, Coreia e 2010, Joshibi University of Art and Design, Tokio, Japão), Les Limites du Désert (2010, Galeria Graça Brandão, Lisboa, Portugal e Galeria Art-and-River-Bank, Tokio, Japão), (…) Marche Solitaire (…) Installations Vidéo, Regard sur le travail video de João Tabarra 1999-2008 (2009, Galerie Le Trarnspalette, Friche culturelle L´Antre-Peaux, Bourges, França), Esto non es una broma (2007, MACUF – Museo de Arte Contemporanea Uníon Fenosa, A Coruña, Espanha), No Pain, No Gain (2000, Museu do Chiado, Lisboa, Portugal) e Mute Control (2000, Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto, Portugal). Em 2002, representou Portugal na XXV Bienal de S. Paulo, Brasil, com a instalação Poço dos Murmúrios.

O seu trabalho está representado em inúmeras colecções, privadas e institucionais, quer em Portugal quer no estrangeiro: Colecção Berardo, Museu Nacional de Arte Contemporânea | Museu do Chiado, Fundação de Serralves, Instituto de Arte Contemporânea, Fundação Calouste Gulbenkian, CGAC – Centro Galego de Arte Contemporânea (Espanha), NSM, VIE / AMRO (França) e Colecção Georges Verney-Carron (França), entre outras.

HD, projecção, loop, cor, sem som, edição de 5+1 PA, dimensões variáveis de projecção.