Dalila Gonçalves

Dalila Gonçalves (Castelo de Paiva, 1982)
É licenciada em Artes Plásticas-Pintura (2005 ) e Mestre em Ensino de Artes Visuais (2009) pela Universidade do Porto. Em 2008 foi seleccionada para a II edição do Curso de Fotografia do Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística. Entre 2010 e 2011 trabalhou em Barcelona no atelier do artista plástico Ignasi Aballí como bolseira do programa Inov-art.

Das várias exposições individuais e colectivas em que participou destacam-se: “Um horizonte de proximidades: Uma topologia a partir da Coleção António Cachola”. Arquipélago – Centro de Arte Contemporânea, Açores (2015); “Cata-Vento”, Galeria Rafael Ortiz, Sevilha (2015); “Notas sobre a construção do tempo” – Anozero’15 Bienal de Arte Contemporânea, Coimbra (2015); ARCO – Madrid (Exposição Individual – KubikGallery, 2015 ); “The grass is always greener – contemporary artists” Museum of Contemporary Art in Roskilde, Dinamarca (2014); “Daqui parece uma montanha. Artistas Contemporâneos Dinamarqueses, Austríacos e Portugueses.” – Centro de Arte Moderna – Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (2014); “Acervo”, exposição de artistas portugueses na Colecção Navacerrada , Centro de Arte de Alcobendas / Madrid (2014); Residência e Exposição – Carpe diem, Centro de Arte e Investigação, Lisboa (2014); “Estrutura, Objeto, Materia… Acción!”, La Conservera, Centro de Arte Contemporânea, Murcia (2014); ArtRio, Rio de Janeiro, (2014); “Processo Circular”, Centro de Arte Contemporânea – SUBTE, Montevidéu (2014); Trienal de Arte Contemporânea – “Beufort04”, Bélgica (2012); Jugada a 3 Bandas, Madrid (2012 e 2015); AKME – Low cost, Faculdade de Belas Artes de Bilbao (2012); “Procedere é Processo”, KubikGallery, Porto (2012); Aproximações à Profundidade – Sala do Veado, Museu da História Natural e da Ciência, Lisboa (2012); 760.000 segundos, Galeria Caroline Pagés, Lisboa (2011); Arte Contemporânea 2011, Centro Cultural Vila Flôr, Guimarães (2011); Exposição PCCA – Fotografia II Edição, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (2008); Tempus Fugit , Galeria Caroline Pagès, Lisboa, (2008); “Jardim Aberto”: Jardins do Palácio de Belém, comissariado por Filipa Oliveira, Lisboa (2007); Ana Santos desenho/Dalila Gonçalves registo fotográfico, Galeria Plumba, Porto (2007); “3º edição, Anteciparte”, Lisboa e Jovens Criadores-2006, Fábrica Tobom, Montijo (2006).

O seu trabalho está representado na Colecção do Museu da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto; na Colecção PLMJ; na Colecção IPSAR em Roma, no Centro Belle Epoque (Blankenbergue, Bélgica); na Colecção de Arte Pública da Câmara Municipal do Porto e em colecções particulares em Portugal , Inglaterra, Espanha, Brasil, França, Colômbia, Itália, Bélgica e USA.

DSC_6301
Fundação Calouste Gulbenkian Photo